Arquiteta e Designer de Interiores

Como separar a função de arquiteto do designer de interiores?

É função do arquiteto projetar um espaço ou reformar mas pelo olhar integral, que quer ver a casa funcionando como um corpo sadio, bonito e harmonioso, de fora pra dentro e de dentro pra fora, ganhamos a função também de designer de interiores, extraindo todos os recursos que o espaço oferece, através do design, na melhor forma de compatibilizar o externo com interno.

Utilizar a luz natural por exemplo, através da melhor projeção da janela e das aberturas e em paralelo utilizar da luz artificial, a melhor projeção da função de iluminar e de criar efeitos.

Criar efeitos?

De luz mas também de cor, de jardim, de um ângulo, de uma forma, de um layout, de acabamentos, de vestimenta através da decoração, de um símbolo e suas intenções, da proporção de um móvel, de um objeto …de possibilitar que a vida pulse através do bem, do belo e do melhor que podemos oferecer através do nosso conhecimento.

E aí esse texto surgiu porque hoje é o dia do Designer de Interiores e como Arquiteta também me sinto homenageada nesse dia.

Contagiando de bençãos!

Símbolos emanam energia e são capazes de contagiar um espaço…um bairro… uma cidade…um país…

Um exemplo disso é a intervenção artística e urbanística do Mena , um presente que São Paulo ganhou, com a expansão das cores do arco-íris, das borboletas e a flor da vida, o padrão atômico perfeito, a geometria sagrada pulsando agora na cidade.

E domingo passado, chegando em Sampa, pude constatar pessoalmente …adorei!

Que possa vibrar todas as virtudes divinas através desse arco íris, que as borboletas sejam portadoras de transformações desse novo padrão!

Porque tudo que queremos ver transformado no macro, começa com essas atitudes no micro!

Que tal dar vida nova?

Ele pode ser apenas uma passagem, um corredor de serviço ou podemos dar vida a ele, criando áreas permeáveis de jardim num desenho sinuoso …

…podemos fazer um peitoril mais largo na janela da cozinha para horta em vasinhos …

…criar um pergolado onde possa subir uma primavera com flores cor de rosa para descansar numa rede sob ela…

…criar um muro verde pra ter mais privacidade do vizinho …

e quem sabe a possibilidade de se refrescar numa banheira ao ar livre sob a cobertura de telhado existente, podendo fazer toda diferença nesse calor!

Bom, por enquanto estamos em projeto, mas não resisti, quis mostrar por aqui!

Que tal reciclar?

Esse final de semana resolvi dar nova vida a alguns objetos que estavam em um deposito, precisando de cuidados, numa tentativa de “salvação” do descarte para o lixo… e aí a banqueta enferrujada e a gaveta sem função se transformaram num acessório incrível de banheiro …eu adorei e lembrei de um texto que escrevi em novembro de 2011, que segue abaixo:

Brincando de dar vida à objetos e à matéria mais densa, acionei os meus sentidos, os cinco mais conhecidos como a visão, audição, olfato, tato e paladar e também outro como a intuição e um outro que capta energia, assim como o pêndulo para radiestesia.

A animação tomou conta do espaço e como no filme de Walt Disney, ” A Bela e a Fera “, onde xícaras e castiçais falam, pude visualizar os anseios e perspectivas dos objetos, num grito de liberdade.

Liberdade ??? É … liberdade !!!

Porque aquele violão está tanto tempo dentro daquele caixão preto, embaixo da cama ? … quantas notas aprisionadas … o som está preso à espera de um músico que queira, quem sabe, se libertar de seus vícios e aflorar definitivamente para seu talento !
(…)
E aquele móvel que as gavetas emperraram ? … também com tantos papéis … documentos importantes, cartas, lembranças … a última vez que foi aberta à procura de uma nota fiscal da garantia da tv, já havia vencido há 5 anos … quanto peso de palavras, números e traças !

E aquela cadeira quebrada ? … de tanto ser xingada pelos tombos dos que nela sentavam, virou peça de destaque no depósito … torcendo para ser descoberta, consertada, limpa e “sentada” novamente !
… quanto anseio de liberdade !!!

Observei que esses prisioneiros dependem de nós, da nossa organização e atitude e que ao libertarmos destes anseios, também nos libertamos de histórias que muitas vezes nos prendem ao passado, à pessoas e suas redes de influência. Podemos recolorir, dar nova função, repaginar, limpar … quem sabe doar, para que possam, conscientes de seu potencial, serem livres para concretizar sua missão de servir em outro patamar energético, trabalhando em prol da harmonia. (…)

Reforma, nova forma, nova vida …

Reforma, nova forma, nova vida, nova história!

Eu acredito no projeto como uma primeira ferramenta para realização do sonho.
Os elementais que cuidam do espaço a ser reformado, recebem a informação de que algo precisa mudar e se não houver resistência, a transmutação acontece.

Caso a concretização não aconteça, é certo que um passo foi dado, mesmo que no plano etérico!

Na certeza de que… tudo que queremos ver transformado no macro começa aqui, no treino com o micro.

Na beleza, na leveza … na arte!

Uma linha vertical encontra com uma linha horizontal e se fundem num ponto, uma se veste de canga a outra se veste de tapete, juntas convidam almofadas, garrafas, aproveitam o verde do jardim de fundo e montam um cenário.

E assim, na simplicidade, pode ser a vida, na beleza, na leveza … fazendo da intenção de um canto, um bom motivo pra criar, para fazer arte!

Renovar!!!

Quando a ideia é vender ou alugar, que tal oferecer para quem chega, o novo, mesmo que básico?
O novo pode ser por meio de pintura, consertos, manutenções, troca de espelho de tomada e luz, troca de maçaneta para algo mais atual.
Além de valorizar o imóvel, passa uma sensação de recomeçar do zero, sem marcas da vida de quem viveu por ali, mesmo que tenha deixado uma boa energia.
Estamos reformando um apartamento para esse fim e na cozinha vamos atuar mais intensamente, renovando os acabamentos e armários.
Fica aqui  o Depois da cozinha, em projeto, na certeza de que … tudo que queremos ver transformado no macro começa aqui, no micro.

Espaço multifuncional e seus cuidados!

O quarto, para muitos e principalmente por conta da pandemia, transformou-se em espaço multifuncional, ou seja, para o descanso, trabalho e lazer.
É preciso tomar certos cuidados, para que a saúde não seja afetada, por conta dessa mistura.
É importante que esteja bem ventilado e que tenha a presença da iluminação natural, para pontuar o ciclo das 24 horas, percebendo o amanhecer, o entardecer e o anoitecer, equilibrando nossa ciclo biológico.
Para que se possa descansar e ter uma boa noite de sono, o wi-fi deve ser desligado e o celular, se ligado durante a noite, deve ficar a uma distância mínima de 1,50 m da pessoa ou, de preferência, fora do quarto, por conta das radiações eletromagnéticas e os aparelhos eletrônicos desligados, sem nenhuma luzinha, já que ela pode influenciar e inibir a produção da melatonina, hormônio que avisa o cérebro que já é a hora de dormir.
Uma outra dica para o espaço do quarto é fazer uso de um vaso com planta, como fizemos nesse projeto. Embora exista um mito que diz que as plantas podem ser prejudiciais porque emitem gás carbônico a noite, sabemos que pelo contrário, segundo a Nasa, algumas plantas favorecem muito a saúde, podendo absorver as toxinas do ambiente, melhorando a qualidade do ar, além de deixa – lo mais bonito.

Criando cenários!

Você cria cenários na sua casa?
Falo do resultado que a vibração da composição de objetos com cores e luzes pode favorecer na criação de um clima, bem como a soma dos elementos que instigue o sensorial além do visual, ou seja, a música, o aroma, a intenção e o próprio movimento que a natureza proporciona na cena, seja através do vento batendo nas folhas das árvores lá fora, do cantar dos pássaros, do fogo na vela, na lareira, na água da fonte.
É uma delícia propor algo que facilite vivenciar o ser e estar, no momento presente, no aqui e no agora!

Em Obra para receber Presentes!

Esta imagem é de um projeto que fizemos e executamos, onde integramos o terraço a sala.
Fiquei com vontade de postar aqui, mesmo sabendo que a árvore de natal está totalmente fora do contexto. Mas e os presentes, será que também estão fora do contexto?
Penso que muitas perdas em geral estão acontecendo em função do Covid e da pandemia, podendo nos abalar físicamente e emocionalmente, já que acaba por nos tirar da zona de conforto e causar dor e medo.
Mas voltando aos presentes, tenho tido olhos para ver as mudanças no céu com menos poluição e consequente regeneração do Planeta por conta do nosso forçado retiro. Além disso vejo que existe uma grande oportunidade de nos reinventar, de sair dos padrões do status quo, nos impelindo a fazer diferente, como uma oportunidade de ousar, de criar e quem sabe nos permitir servir da maneira que sempre sonhamos, expandindo nosso talento fora do sistema, possibilitando recursos que nos permita liberdade financeira com uma integração mais humana.
Bom, estamos em obra, estamos numa reforma, não sei quem fez esse projeto, mas sinto que reconstruir é o caminho e eu prefiro acreditar que seja um Presente do Divino.