Feliz Natal, Feliz 2018!

Numa visita ao “cemitério do azulejo” Casa Antiga,  me deparei com esse painel da ilustração do post e o centro brilhou pra mim!

Brilhou por se tratar de Maria, José e Jesus, brilhou porque o Natal vibra em mim, brilhou pela inocência da criança, independente de ser quem temos como Mestre. E é essa pureza de criança que precisamos resgatar para sermos quem verdadeiramente somos em essência!

Aproveito o insight para desejar  vibrarmos cada vez mais esse tesouro dentro de nós e que libertos dos nossos “amortecedores”  e “máscaras” possamos nos sentir a vontade, participativos, expandindo  mais amor, integrados … em Unidade.

Feliz Natal … Feliz 2018!!!

Tempo de travessia!

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos”.

Esse poema inspira tantas transformações!

No Antes e Depois dessa Cozinha fica visível a amplitude e a graça após reforma e consequente mudança que já está acontecendo na vida de quem usufrui!

E na sua vida, o que te inspira transformar? E você, está agindo de acordo com seu propósito ou prefere continuar repetindo os mesmos padrões?

Final do ano inspira esses questionamentos e sim é preciso ter coragem pra sair da zona de conforto e fazer a travessia … dá um frio na barriga mas se não arriscarmos através desse chamado da alma, não saberemos nunca se valerá!

“Tamu junto”!

A coragem de ser quem somos!

“Quando ocorre esse alinhamento entre o interno e o externo, entre o dharma e karma, entre o ser e o fazer, nós sentimos alegria em acordar pela manhã para colocar nossos dons e talentos a serviço do bem maior, porque se estão alinhados com o proposito da alma, nossas ações naturalmente estão servindo ao propósito maior. Então nós sentimos um grande conforto em estar onde estamos e fazer o que fazemos.”

Do livro “Propósito – A coragem de ser quem somos” Sri Prem Baba.

Trazendo luz à escuridão!

Essa estilizada árvore de Natal tem história!

Seus galhos faziam parte de 1/100 ( imagino eu!) da imensa trepadeira que cobria o muro que separa a minha casa da casa do vizinho. Há um tempo ela foi chegando da casa de trás, sem avisar e foi aos poucos cobrindo o muro sem graça e eu confesso que achei providencial aquela invasão e resolvi não reclamar, até porque comecei a ver a vida pulsar com os passarinhos fazendo ninho por ali, sentindo uma pequena floresta tomar conta, alegrando e embelezando meu jardim.

Bom … dois anos se passaram e … ao invés de poda, meu vizinho resolveu cortar pela raiz a planta e o meu coração também!

Ahhh … a tal da impermanência! Quantas vezes somos surpreendidos, em tantas áreas da nossa vida?

Trabalhar a aceitação, das coisas como são, é libertador, principalmente quando conseguimos transformar a situação, trazendo luz à escuridão!

Apegar jamais, guardar um pedacinho dos bons momentos foi o que fiz!

Talvez seja cedo, mas vou aproveitar o insight para deixar essa mensagem para os dias que antecedem, bem como para o festejo do dia 25/12, dia de Natal!

Gratidão pelo aprendizado!