O que você quer para 2017?

Final do ano, hora de intencionar o que queremos para 2017!

Como entendemos que o espaço que habitamos tem uma relação simbiótica com a nossa vida, sugiro que você não perca a oportunidade de harmonizá-la, ainda esse ano, para colher os frutos no ano que vem por aí.

Se a realidade de nossas vidas somos nós que criamos, não podemos deixar dúvidas, nem brechas para o acaso, mas às vezes, por desconhecer, por ingenuidade ou boicote, não somos claros através da linguagem da casa e acabamos por pecar na disposição dos móveis, do layout, dos objetos, das cores, dos elementos, desarmonizando áreas da vida como trabalho (missão), espiritualidade/conhecimento (embasamento), família (passado, desbloquear hábitos e crenças), prosperidade (expansão), sucesso (realização), relacionamento (soma), criatividade (futuro -filhos), amigos (sincronicidade- novo ciclo).

Além de tudo isso, corre-se o risco de estar dormindo sobre um ponto patogênico que pode mudar o metabolismo das células ao longo do tempo, causando sérias doenças.

Sugiro que você marque uma sessão para minha assessoria, traga a planta da sua casa, fotos e vou oferecer uma sessão de 2 horas num valor promocional de Natal de R$ 260,00 ao invés dos R$ 330,00 habituais.  Mas se precisar de pequenos toques apenas, podemos combinar R$ 180,00 por uma sessão de 1 hora.

O que você quer para 2017?

Que venha o IV Congresso!

Em  novembro de 2012 aconteceu em São Paulo o III Congresso Internacional de Geobiologia e por esses dias o Facebook resolveu nos relembrar com um post que compartilhei na época e ” bateu” em mim uma “nostalgia” do que vivenciamos naqueles dias, que resolvi compartilhar novamente por aqui. Quem sabe o Allan Lopes, Selma Luiza Lopes e seus palestrantes se inspirem novamente, para que em 2017  São Paulo possa receber novamente esse lindo presente! Eu amei e posto aqui novamente uma síntese do que aconteceu naqueles dias.

O III Congresso Internacional de Geobiologia – Casa Saudável aconteceu dias 15,16 e 17 de novembro, em São Paulo e foi uma vivência maravilhosa e inesquecível !

O tema sobre sustentabilidade foi bastante explorado, levando em conta as diversas perspectivas da realidade, com fatores que envolvem emocional, criatividade, estética, valores, identidade, espiritualidade e outros, com uma abordagem mais integral, como palestrou o psicólogo Celso Nogueira.

O arquiteto André Buarque falou da importância de  levar consciência ambiental ao estudante de arquitetura, além de outros temas levantados também por Frank Siciliano, que mostrou exemplos de projetos construídos por ele, que a partir do design,  proporcionam melhor ventilação e iluminação, bem como a escolha dos materiais. A arquiteta Loredana Albieri exemplificou como a Bioarquitetura funciona na Itália e nos outros paises da Europa e Peter Van Lenger, com seus “divórcios” com supermercado, farmácia e casas de material de construção, mostrou que em Tibá e em outros locais, a consciência ambiental é vivida de maneira plena.

Robert Steller explanou sobre soluções para pontos que geram campos elétricos e eletromagnéticos e tivemos pesquisas realizadas pela bióloga Mônica Louvison que comprovam o efeito prejudicial dessas ondas negativas e suas consequências em nossa saúde.

Outro ponto abordado foi o diferencial de se oferecer a saúde e o bem estar como serviços agregados na arquitetura, como explanou tão bem a arquiteta Aline Mendes e para que, todo o benefício que o Feng Shui e a Geobiologia oferecem não pareça uma ilusão para alguns descrentes, trabalhos científicos foram apresentados, comprovando como a psicologia ambiental pode melhorar o habitar, conforme palestrou a arquiteta Angélica Rente e respectivamente comprovações para um ambiente mais produtivo conforme pesquisa do arquiteto Ormy Hütner Júnior.

O arquiteto Welton Santos lembrou a importância da humildade, no resgate da criança interior curada, para despertar o auto amor e consequentemente poder trabalhar para um bem maior, o nosso Planeta.

Carlos Solano começou sua palestra com um lindo poema e desenvolveu o tema sobre as traduções da Casa Natural e seus ensinamentos para purificar e abençoar o ambiente … emocionante !!!

Toni Backes falou sobre o paisagismo regenerativo para celebrar a vida, através do acaso projetado, contando com espécies já existentes no local, as que nascem espontaneamente e as novas a serem implantadas, levando em conta a biodiversidade … e falando em plantas, a terapeuta ambiental Sandra Siciliano conduziu uma meditação maravilhosa, onde todos puderam sentir-se árvore, conectando-se com a terra, sentindo a seiva e sintonizando com o simbolismo da imagem da árvore que cada um visualizou. A minha foi uma jabuticabeira que representa a alegria e o resgate da criança interior … nossa quanta sintonia !!! … recebi duas sementes de árvore para plantar codificadas de alegria … quantos presentes !!! … além de todos que já citei, ainda ganhamos : caneca ( para evitar usar copo plástico nos coffees ), essências para ambientes, apresentações musicais belíssimas como : Geosound, Citara e Quinteto de cordas, mesa redonda sobre sustentabilidade com os palestrantes e com o  paisagista convidado Raul Cânovas e Marcelus Oliveira, dança circular, novos amigos e um cerimonial do plantio de uma árvore com a intenção anotada no papel do que desejamos para o nosso Planeta … lindo demais !!!

Gratidão a querida Selma Luiza Lopes, a toda equipe da organização do evento, a todos os palestrantes, mas principalmente ao Allan Lopes por suas palestras com ensinamentos claros sobre o viver saudável, mas quero dar ênfase aqui pela sua iniciativa e determinação no Bem, no Belo e na Luz, no caminho da Unidade.”

Integração com a natureza, sustentabilidade,  consciência ambiental, bioarquitetura, respeito, cuidados, harmonia, saúde, unidade … aprendendo e praticando!

Que tal o Plano B?

Deparei-me com esse video hoje, novamente : Ninja com o cachorro ( https://youtu.be/fUPoj3es98w ) que por sincronicidade veio como mensagem para mim.

Como uma praticante de Taichi, entendo a prática como uma meditação em movimento que por qualquer distração da mente perdemos o foco e conseqüentemente a forma que se pretendia fazer.

Mas com a mente e o coração alertas, no momento presente, podemos deixar fluir, sem tentar eliminar o obstáculo, compondo com ele, flexibilizando, dançando e dando novas possibilidades para vida que quer brotar, saindo do plano A, tão planejado, e dando chance para o plano B dizer para o que veio!

Pode ser surpreendente!

Na lei da ressonância!

“A Planta está parada? Na nossa visão, sim, mas na realidade não.Ela está interagindo o tempo todo com o entorno”.

“As plantas ancoram na terra qualidades espirituais”.

“Em vez de brigar com o filho para ele organizar o quarto, a mãe faz um arranjo de flores. Uma semana depois, o filho começa a se organizar. É a lei da ressonância…”(Kaká Werá)

E fazendo um paralelo, na observação da ilustração deste post, fui recebida assim, com esse bem vinda nesse final de semana, na casa que aluguei em Gonçalves. E não é que a Dna Dita, cuidadora da casa, sabe de tudo sobre a lei da ressonância?!