O pequeno confortável

Para espaços pequenos como este de 45 m2, ilustrado ao lado, ganhar espaço é tudo de melhor que posso oferecer para o meu cliente. E quando digo ganhar espaço estou me referindo a metros quadrados e também ao espaço ilusório que o espelho pode favorecer.

A varanda que anteriormente era negada pela cortina, em projeto, sugerimos a integração com a sala, através de piso coberto por pedriscos e vasos com a planta formio, que com imponência barram a vista indesejada e criam um jardim para ser apreciado na sala.

Evitamos objetos que impeçam a circulação como mesa de centro e projetamos móveis que cumprem a função de guardar louças e objetos, porém com medidas bem planejadas evitando desperdício de espaço.

A cozinha ficou integrada à sala, que pode atender um encontro informal para 8 pessoas de maneira confortável.

A beleza do agora

” Um dia, andando na selva, um homem encontrou um tigre feroz. Ele correu para salvar sua vida, perseguido pelo tigre.

O homem chegou à beira de um precipício, e o tigre estava quase alcançando-o. Sem opção, ele se agarrou a uma parreira com suas duas mãos, e desceu.

No meio do precipício, olhou para cima e viu o tigre no topo, arreganhando os dentes. Ele olhou para baixo, e viu outro tigre, rugindo e esperando sua chegada. E ficou preso entre os dois.

Em seguida, apareceram dois ratos sobre o precipício, um branco e outro preto. Como se ele não tivesse com preocupações suficientes, os ratos começaram a roer a parreira.

Sabia que se os ratos continuassem a roer, chegaria um ponto em que a parreira não poderia suportar seu peso, causando sua queda. Tentou espantar os ratos, mas eles voltavam e continuavam a roer.

Neste momento, ele observou um morangueiro crescendo na parede do precipício, não muito longe dele. Os morangos pareciam grandes e maduros. Segurando-se na parreira com apenas uma das mãos, com a outra colheu um morango.

Com um tigre acima, outro abaixo, e com os ratos continuando a roer a parreira, o homem comeu o morango e achou-o absolutamente delicioso. “

 Moral da história Zen : O passado passou … é um perigo insistir em viver o passado … o futuro ainda não existe … é um perigo viver com ansiedade e com a expectativa do que virá …os ratos roem a parreira representando a impermanência … O morango representa a beleza inesperada, a bem-aventurança, a energia e a vitalidade do momento presente . Está sempre aqui, sempre disponível para os que tem a habilidade de ver e usufruir.

Escritório em casa

 ”   A tendência atual de trabalhar na própria casa traz várias vantagens, como a redução de gastos, redução da circulação de automóveis na cidade( também uma boa medida ecológica) e, na maioria das vezes, redução do índice do stress pessoal.

Especialmente na terceira idade, o espaço de trabalho em casa torna-se importante, garantindo realização, independência e contrapondo-se ao vazio e à solidão.

O único problema é a possível interferência da vida profissional na pessoal e vice-versa. A casa é o espaço yin do repouso; o trabalho é o momento yang da atividade. Muitas vezes, o percurso casa/trabalho/casa funciona como elemento de ajuste entre essas duas polaridades.

Existem recomendações especiais para o espaço do trabalho em casa:

  1. Quando possível que esteja situado em construção anexa, independente;
  2. Quando dentro da casa, que possua entrada independente. Caso não seja possível, situá-lo próximo à porta principal, preservando-se a intimidade;
  3. Quando o escritório situa-se dentro do corpo da casa, algumas medidas são especialmente recomendadas:

– a primeira é separar as duas linhas telefônicas: residencial e a comercial;

– Não criar uma situação improvisada ou desleixada, mas adquirir um mobiliário adequado e vestir-se de forma condizente;

– Não deixar material de trabalho espalhado por outros ambientes da casa;

– Ao fim do dia, isolar o escritório, desligar o telefone acionando a secretária eletrônica, e “voltar para a casa”, fazendo atividades de passagem para o momento de descanso.

 Se não tomarmos esses cuidados, corremos o risco de não conseguir relaxar a mente e descansar, criando um excesso da polaridade yang (movimento e turbulência), na casa e na vida, ininterruptamente.”

Transformar a garagem de casa no escritório foi a melhor opção que já fiz, além de ser uma atitude mais sustentável e econômica … dá para administrar melhor o tempo, possibilitando à dedicação em outras áreas importantes da vida.

Fonte : Arquitetura Ambiental Chinesa- Carlos Solano

 

Criatividade

No feng shui temos o mapa chamado de baguá que é colocado sobre a planta da casa para identificarmos os 8 setores de nossas vidas, simbolicamente expressos em determinadas áreas. No post do dia 17 de maio e do dia 7 junho, falamos do guá FÁMILIA e TRABALHO respectivamente. Hoje vamos falar sobre o guá da CRIATIVIDADE, opostamente colocado ao guá família, ele representa o resultado da soma, ou seja, de um relacionamento pode resultar um filho. Mas vai alem disso, podendo ser o produto de um processo que começou com a identificação da missão, do talento nato (trabalho), do aprofundamento através de pesquisas e estudos (conhecimento), do desbloqueamento dos preconceitos e padrões que limitavam o florescer(família) , do espalhar as sementes boas ao vento(prosperidade), da realização pessoal baseada nessa evolução (sucesso), o encontro com outro, livre de apegos e dependências(relacionamento), para então, finalmente poder deixar algo para existência… algo lapidado, pleno de luz !

As curas que como agulhas da acunputura estimulam esse setor são o elemento metal, a cor branca, o símbolo mandálico, o numero 7, lembrando que tudo faz parte de um processo alquímico e que todos os guás devem ser trabalhados para se obter resultado eficaz. Na ilustração deste post, a mandala simbolicamente representa o guá da criatividade do Espaço Matrix, e o resultado almejado, neste caso, é a UNIDADE através dos trabalhos de oficinas realizadas em grupo pela facilitadora Fátima Lee.