Alquimia

“O objetivo do Alquimista de ontem era transformar chumbo em ouro, ou melhor modificar uma matéria densa e pesada, em algo precioso e reluzente.
Eles certamente empregavam uma linguagem simbólica para falar de uma realidade interna que surgia no processo de transmutação dos metais com os quais lidavam em seus laboratórios. Enquanto ficavam destilando líquidos, fundindo materiais, aquecendo e esfriando substancias para obter o tal ouro ou a pedra filosofal, produzia-se também uma enorme transformação interna.
O processo alquímico fala da transformação da alma que acontece em quatro fases, sendo que nas duas últimas, a alma, já limpa e refeita do enfrentamento interno com seus sentimentos mais pesados e negativos, passa para ação no mundo, compartilhando com outras pessoas suas experiências e sabedoria, ou seja quando o chumbo vira ouro. ”

Analisando este pensamento, observo no processo de reforma da casa, grandes mudanças na vida de seus proprietários e fico muito feliz quando compartilham conosco suas alegrias e vitórias.

Observe a transformação desta residência, através das fotos do ANTES E DEPOIS.

A Divina Proporção

Durante anos o homem procurou a beleza perfeita, a proporção ideal. Os gregos criaram então o retângulo de ouro. Era um retângulo, do qual havia-se proporções … do lado maior dividido pelo lado menor e a partir dessa proporção tudo era construído. Assim eles fizeram o Pathernon… a proporção do retângulo que forma a face central e lateral. A profundidade dividida pelo comprimento ou altura, tudo seguia uma proporção ideal de 1,618(número Phi).
Os Egípcios fizeram o mesmo com as pirâmides cada pedra era 1,618 menor do que a pedra de baixo, a de baixo era 1,618 maior que a de cima, que era 1,618 maior que a da 3a fileira e assim por diante.
Bom, durante milénios, a arquitetura clássica grega prevaleceu. O retângulo de ouro era padrão, mas depois de muito tempo veio a construção gótica com formas arredondadas que não utilizavam retângulo de ouro grego.
Mas em 1200… Leonardo Fibonacci um matemático que estudava o crescimento das populações de coelhos criou aquela que é provavelmente a mais famosa sequência matemática, a Série de Fibonacci. A partir de 2 coelhos, Fibonacci foi contando como eles aumentavam a partir da reprodução de várias gerações e chegou a uma sequência onde um número é igual a soma dos dois números anteriores: 1 1 2 3 5 8 13 21 34 5589…
Aí entra a 1ª “coincidência”; proporção de crescimento média da série é… 1,618.
Os números variam, um pouco acima às vezes, um pouco abaixo, mas a média é 1,618, exatamente a proporção das pirâmides do Egipto e do rectângulo de ouro dos gregos. Então, essa descoberta de Fibonacci abriu uma nova ideia de tal proporção que os cientistas começaram a estudar a natureza em termos matemáticos e começaram a descobrir coisas fantásticas.
-A proporção de abelhas fêmeas em comparação com abelhas machos numa colmeia é de 1,618;
-A proporção que aumenta o tamanho das espirais de um caracol é de 1,618;
-A proporção em que aumenta o diâmetro das espirais sementes de um girassol é de 1,618;
-A proporção em que se diminuem as folhas de uma árvore a medida que subimos de altura é de 1,618;
-E não só na Terra se encontra tal proporção. Nas galáxias as estrelas se distribuem em torno de um astro principal numa espiral obedecendo à proporção de 1,618 também por isso, o número Phi ficou conhecido como A DIVINA PROPORÇÃO.
Porque os historiadores descrevem que foi a beleza perfeita que Deus teria escolhido para fazer o mundo?
Bom, por volta de 1500 com a vinda do Renascentismo à cultura clássica voltou à moda… Michelangelo e, principalmente, Leonardo da Vinci, grandes amantes da cultura pagã, colocaram esta proporção natural em suas obras. Mas Da Vinci foi ainda mais longe; ele, como cientista, pegava cadáveres para medir a proporção do seu corpo e descobriu que nenhuma outra coisa obedece tanto a DIVINA PROPORÇÃO do que o corpo humano… obra prima de Deus.
Por exemplo:
– Meça sua altura e depois divida pela altura do seu umbigo até o chão; o resultado é 1,618.
– Meça seu braço inteiro e depois divida pelo tamanho do seu cotovelo até o dedo; o resultado é 1,618.
– Meça seus dedos, ele inteiro dividido pela dobra central até a ponta ou da dobra central até a ponta dividido pela segunda dobra. O resultado é 1,618;
-Meça sua perna inteira e divida pelo tamanho do seu joelho até o chão. O resultado é 1,618;
-A altura do seu crânio dividido pelo tamanho da sua mandíbula até o alto da cabeça. O resultado 1,618;
– Da sua cintura até a cabeça e depois só o tórax. O resultado é 1,618;
(Considere erros de medida da régua ou fita métrica que não são objetos acurados de medição).
Tudo, cada osso do corpo humano é regido pela Divina Proporção.
Coelhos, abelhas, caramujos, constelações, girassóis, árvores, arte e o homem; coisas teoricamente diferentes, todas ligadas numa proporção em comum.
Encontramos ainda o número Phi nas famosas sinfonias como a 9ª de Beethoven e em outras diversas obras.
Coincidência ou não … ficamos satisfeitos com o teste do Phi nestes dois projetos:

Influências Orientais

96671905ranx7xiufff_9862acm

As influências orientais estão presentes em nossas vidas de diversas maneiras –  nas terapias, na culinária, na música, na decoração e agora até na novela!

Acredito ser uma oportunidade para os ocidentais normalmente voltados para o lógico, o  racional e o material, vivenciarem  o caminho do meio através dos sentidos.

O Mestre Budista Thich Nhat Hanh fala do viver em paz através do milagre da mente alerta,  viver o momento presente como único.

Então acredito que além da determinação de estar no aqui e no agora, o estímulo aos sentidos facilita este processo.

O simples ato de testemunhar o aroma do chá e vivenciar o ritual da culinária japonesa – “comer com os olhos” – e a habilidade no manuseio do hashi,  nos conduz  à concentração no momento presente.

A arte marcial no TaiChi e o Yoga –  gestuais que geram um tempo mítico (um tempo irreal ou mais real que todos os tempos) –  meditação em movimento.

Os mantras que nos conduzem ao nosso centro através de um processo de repetição

E finalmente na decoração as cores, texturas, formas e  símbolos…

[audio:om namah shivaya.mp3]

A Arte de contemplar



Quem sou ?

Para privacidade sou muito procurada !

Na proteção contra ações da natureza, sou muito importante !

Posso proporcionar aconchego, conforto, sensualidade e leveza.

Posso ser delicada e alegre ou fechada e sóbria.

Moderna, Clássica ou Romântica.

Enfim, visto proporcionando diversas possibilidades, sensações e climas.

Descobriu ?

Então … foco nas imagens !!!